terça-feira, 17 de novembro de 2009

Micas da manta laranja

Micas da manta laranja
Depois do sol veio a chuva e depois da chuva veio o sol. Entretanto assisti às curtas de Agnès Varda que correram a cidade; subi e desci as calçadas antigas do centro histórico de cabeça no ar; fiquei sem internet em casa e o telemóvel avariou (devo ter cá uma sorte com os telemóveis... cinco em oito anos!!!); fui ver as novas exposições do CPF; a tampa da sanita lá de casa foi finalmente substituída; encontrei amigos na rua e fui lanchar com eles; recebi uma prenda fantástica que me fez voltar a usar a máquina fotográfica no caminho para o trabalho (muito obrigado pais!); respirei os novos ares que andam a renovar a cidade; descobri a Márcia e fiquei encantado (obrigado mais uma vez, meu caro Daniel!); vasculhei tudo em busca de um cd com fotos importantes e ainda não encontrei (é para eu aprender a ser mais organizado...); liguei o aquecimento pela primeira vez; comi muitas castanhas rodeado de bons amigos; provei os cinco Olho no Pé que estão quase a serem lançados; a chuva sem parar não afectou negativamente o meu estado de espírito que anda quase primaveril; simpatizei com o Carlos do filme "Os Sorrisos do Destino"; fiz playback de músicas dos filmes do Almodóvar; as tulipas cresceram a olhos vistos; participei num concurso de fotografia e não ganhei nada; sonhei com paisagens sobre o casario velho da cidade; comprei camisolas mais quentes; estraguei um guarda-chuva; comovi-me quando as pequenas mãos da Júlia agarraram os meus óculos; inscrevi-me no Banco Alimentar; e a Micas voltou a dormir no meio de nós.

2 comentários:

J. disse...

O meu tampo da sanita continua partido. As túlipas, as curtas da Agnés e as mãos da Júlia é que me causaram cá uma inveja. Grandes fôlegos. Adorei a galinha da paz. E a Micas também estou a ver!

Pedro Costa disse...

:D