terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Reflexões invernais

Algas deixadas no prato
Por estes dias, juntamente com os pára-brisas dos carros, metade do meu cérebro congelou e não sei por onde anda a vontade de escrever e de fotografar. Só me apetece ter a lareira acesa ou o aquecedor ligado no máximo, para aquecer o corpo e deliciar-me pantagruelicamente na companhia dos amigos, para aquecer a alma. Sinto-me sereno, tranquilo. Entrego-me de olhos fechados aos sons melancólicos e muito belos de Mathias Eick. Suspendo a realidade por breves instantes, projectando viagens a ansiar na alvorada de dias mais quentes e solarengos. Contemplo as caras das pessoas apressadas que calcorreiam as ruas em busca de inutilidades para oferecer em nome do progresso das economias de mercado. Sorrio com abraços que estão prestes a chegar. Fico pasmado no supermercado ao ver o preço dos pinhões (8 euros por 200 gramas?!). Olho para as algas que restaram de mais um repasto e reflicto no desaparecimento de mais um membro da minha família, o terceiro este ano. Será isto um sinal de que cheguei faz muito tempo ao mundo dos adultos? E eu que ainda me sinto um puto adolescente com vontade de começar tudo de novo...


Cologne Blues - Mathias Eick

3 comentários:

Anónimo disse...

Um belo ar minimal meu lindo presentinho, gostei muito teu fotografia!, um beijo grande, só 13 dias!!para um estreito abraço

Daniel J. Skråmestø disse...

8 euros por 200 gramas de pinhões?!!
Aqui custam 2 euros. Os tomates secos, o palmito, e as alcachofras tb são mais baratos. Mas são as únicas coisas. O resto é tudo mais caro :P

Pedro Costa disse...

não consegui escutar as musicas do Mathias Eick... bored! nem a nos posts anteriores...
hoje vou ver o filme recomendado, acho que é bem apropriado para as minhas ultimas introspecções!