sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Algumas películas de uma cidade cinematográfica

Paris em filme
Filmes vistos ou revistos a pretexto da recente viagem à suposta cidade mais filmada do mundo:
Paris, le filme, de Cédric Klapisch (a Paris vista dos telhados)
Before Sunset, de Richard Linklater (a Paris do Sena e do Quartier Latin)
Les chansons d'amour, de Christophe Honoré (a Paris do 10º arrondisement)
Entre les murs, de Laurent Cantet (a Paris das salas de aula)
Estes filmes sem dúvida não poderiam ter sido feitos noutra cidade.

3 comentários:

Berta disse...

Discordo em relação ao "Entre les murs". Não notaria diferença se fosse falado em português e filmado na Amadora, por exemplo.
Mas concordo completamente com a ideia de que Paris é uma cidade espectacular e que povoa o imaginário de todos nós (mesmo daqueles que como eu nunca a visitaram):-)

Pedro Costa disse...

pois a problemática não muda muito da Amadora para os arredores de Paris... de qualquer forma, Portugal esta demasiado anestesiado para acordar e violentar carros em chamas!

meu caro,depois de uma ponderação entre agradecer-te ou dar-te um chapo... tenho que te agradecer o facto de me teres mostrado este filme particular, "les chansons d'amour", ainda não vi mais, tenho que já to a tratar dos outros :P, e de ter tido o efeito de eu próprio, admitir o meu romantismo como algo que faz parte de mim, :D, e de me teres dado uma alienação a realidade... e algo para me distrair da sensualidade e calor da arquitectura islam...

Pedro Costa disse...

diz-me, porque são sinonimo de exclusividade de uma cidade? Porque estes filmes não poderiam sair de uma outra cidade Europeia??? sei lá, Budapeste? Roma? Londres? porque não Lisboa?
"Paris, le filme" parece um exercício saudosista a uma cidade em transformação, ao romantismo de uma cidade misturando temática actual de emigração, a pertinência da morte e o amor que, apesar das transformações, se encontra onde menos se espera... mas não poderia ser noutra cidade?
"Before Sunset", parece mostrar-nos uma cidade onde a magia acontece 24h sobre 24h,gostei dos diálogos infinitos, gostei mesmo! e para os mais descrentes no amor façam a viagem e conheçam um francês, mas será realmente assim???
"Les Chansons d'amour"... romantismo...hum... a realidade alternativa de uma paris liberal e multi cultural, será mesmo assim?, se for verdade vou já para lá!
de qualquer forma dá em duas... uma grande vontade de viajar até lá e de fumar um cigarro.