quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Dentro de portas

Dentro de portas
O fim do ano velho e o começo do novo ano foram passados na sua maioria dentro de portas. A chuva e o frio desmotivam passeios mais alongados. As palavras e os risos dos amigos rejuvenesce-nos. As mesas enchem-se de bons motivos para adiar dietas desejadas. Os vidros embaciam. A voz da Amália e as perturbadoras histórias da Paula Rego enchem as paredes de museus. As casas de chá reconfortam e aquecem-nos as mãos. Contemplam-se campos alagados e mares revoltosos através de janelas em movimento. Somos aquecidos por mantas, edredons e gatos ronronantes. Nas carruagens de metro inventam-se vidas para as personagens que nos rodeiam. Vasculham-se objectos e vestem-se tecidos em lojas e lojinhas. "Quais são os teus desejos para 2010?" As fracções de segundo de resposta demoram uma eternidade e as palavras custam a sair. Terei deixado de acreditar em sonhos?

3 comentários:

r.nata disse...

não me canso de as ver, de te dizer. tens fotografias deliciosamente, absolutamente encantadoras!

Anónimo disse...

bonito mosaico, me suena mucho!, ja,ja,ja... gracias por estos dias! beijinhos muitos!

Pedro Costa disse...

n deixamos de acreditar em sonhos....
tornam-se é um bem mais precioso e temos o receio de dar a resposta não certa...